"tem que ter paixão"

Não vou falar do passado, esqueçam tudo que já aconteceu. Porém, infelizmente, amanhã não será um novo dia.

O programa de sócio-torcedor é, sempre foi e, tudo indica, continuará a ser péssimo. Entretanto, o futuro sempre nos reserva surpresas. O problema é que elas quase sempre são desagradáveis.

Quem é participante do programa de sócio-torcedor, estava acostumado a entrar direto no Engenhão, sem a necessidade de ingresso, apenas com a sua carteirinha. Não vou entrar no mérito da interdição do nosso estádio; o fato é que, decorrido mais de seis meses de fechamento do Engenhão, alguma solução já deveria ter sido pensada. Como não foi, somos obrigados a buscar o ingresso em um contêiner no Maracanã ou algum dos outros pontos de retirada pela cidade. A única facilidade é que esse "posto de troca" era localizado na Eurico Rabelo, próximo às entradas do setor Sul, onde se concentram a maior parte dos sócio-torcedores.

Mas hoje, na derrota para o Bahia, foi diferente. Quem chegou ao estádio para trocar o ingresso, era informado que a troca ocorreria na Rua Mata Machado, do outro lado às entradas do setor sul. Ou seja, você era obrigado a dar uma volta completa no estádio, fazendo com que mais pessoas entrem próximas ao horário da entrada do jogo, piorando ainda mais a caótica entrada que conta com filas intermináveis.

Não sei de quem é a culpa dessa mudança no local para a retirada. O novo local até me pareceu melhor estruturado, embora muito longe de ser aceitável em um novo estádio. O problema é que custava ao clube informar sobre esse novo local? Nas mídias sociais oficiais, que estão longe de serem utilizadas para gerar envolvimento e prestar informações aos torcedores, não havia informação nenhuma sobre o novo local, tampouco no site.

Fora, claro, o desrespeito com a torcida ser entulhada em apenas um setor. Não apenas isso reflete nas longas filas de entrada, mas nas compras do intervalo e na saída - que sempre é extremamente lenta, ainda mais comparada com à do Engenhão.

De forma empírica, poder-se-ia afirmar que os botafoguenses são os torcedores mais críticos e isso, obviamente, é refletido no comparecimento ao estádio que também é uma resposta às péssimas condições oferecidas.

Assim, fica difícil cobrar comparecimento com as péssimas condições oferecidas pelo clube. Existe uma minoria que aceitará quaisquer condições para ver o seu clube de coração. O problema é que a maioria tem bom-senso e pensa duas vezes antes de se deslocar para um estádio, seja ele qual for.

Se queremos mais gente no Maracanã ou assinando o sócio-torcedor, é hora de tratar com mais respeito e dignidade aqueles que tanto amam o clube. Se o pensamento antiquado de que a torcida tem mais que ajudar sempre, prevalecerá a mediocridade.

Todo mundo gosta de ser bem tratado. Inclusive pelo seu amor.