Eu gosto do Rio de Janeiro, gosto das pessoas que aqui estão, do meu Botafogo que resiste lá do outro lado do túnel.

Detesto bairrismo, sou contra qualquer espécie de fronteira, não acredito em bandeiras. Assim, parabenizo as pessoas que aqui estão, aqueles que conseguem tornar uma fila um episódio agradável com uma conversa profunda sobre todos os problemas do mundo e sumir para todo o sempre. 

E Se as pessoas são espontâneas assim aqui - e eu não conheci outro lugar igual - certamente há alguma relação com a cidade. E se o meio ajuda a moldar o homem, feliz é aquele que aqui vive.

Então, parabéns ao Rio de Janeiro.