O tema mais frequente hoje nas redes sociais entre os cariocas é o aumento das passagens de ônibus na cidade do Rio de Janeiro. Embora alguns tenham reclamado do prefeito Eduardo Paes, a maioria se voltou contra os donos das empresas. A culpa, claro, é dos dois.

O estado mantém o controle através da concessão e planeja todo o transporte, obrigando as empresas a manterem linhas falidas e não há qualquer concorrência entre elas.

E o pior de tudo, nós pagamos duas vezes pelas passagens: quando pagamos a tarifa ao entrar e através dos impostos, já que ainda há subsídios para as empresas.

A maior prova que as empresas não querem investir é a falta de ar-condicionado nos ônibus da cidade. Ora, para que conforto se o lucro é garantido e não há concorrência?

No metrô, então, a vergonha é maior ainda. Onde estão os trens que deveriam ser entregues no meio do ano passado e cujo prazo havia sido estendido para dezembro de 2011?

Para terminar o raciocínio do parágrafo inicial, a culpa é dos empresários também, pois, claro, eles alimentam esse círculo com as pesadas doações. O sistema de transporte é um vespeiro e está todo mundo feliz assim - como veremos em outubro.