Clique na foto para ampliá-la. 
À direita, um close na escada 

A torcida do Botafogo fez uma bela festa na goleada sobre o Ceará no Engenhão. Aproveitando o feriado e a boa fase do time, dezenas de milhares de torcedores foram até o bairro de Engenho de Dentro para torcer pelo segundo colocado do Brasileirão.

Entretanto, embora a festa dentro das quatro linhas tenha sido linda desde os 5 minutos com o gol do Herrera, fora do estádio as coisas não foram nada tranquilas. Milhares de pessoas sem ingresso sofreram com policiais que não hesitaram em distribuir balas de borracha, gás de pimenta e agressões com cassetete para afastar quem estava aglomerado na porta tentando entrar.

Vídeo de um torcedor sobre a confusão entre a Polícia e os torcedores

Já nas arquibancadas, a torcida fez uma bela festa. Cantou e vibrou com os quatro gols do Botafogo. Porém, mais uma vez, a diretoria do Botafogo não tomou os cuidados necessários e obrigou os torcedores de alguns setores a conviverem com uma superlotação.

Na arquibancada Oeste Superior, setor onde eu estive, além de praticamente não haver cadeiras vazias, todas as escadas estavam tomadas por torcedores em pé. No dia 21 de agosto do ano passado, também pelo Campeonato Brasileiro, houve o mesmo problema de superlotação no jogo contra o Avaí, quando este blog alertou para a irresponsabilidade de se vender tantos ingressos para um único setor.

Porém, mesmo assim, conforme consta no borderô do jogo no site da CBF, no feriado da Independência foram vendidos para o Oeste Superior 10.624 ingressos. Mas é importante ressaltar que as mais de 5 mil gratuidades do jogo eram válidas para qualquer setor, o que explica a superlotação.

Confira a divisão do público da vitória do Botafogo no Engenhão contra o Ceará:

Norte: 3999
Sul: 2007
Oeste Superior: 10624
Oeste Inferior: 4898
Leste Superior: 9600
Leste Inferior: 5867

Os setores inferiores têm capacidade para 7.334 pessoas cada. Já os superiores, 10.775. Na Sul e na Norte o número cai para 4.500 em cada um.

Sendo assim, houve uma diferença mínima na Oeste Superior entre a capacidade do setor e o que foi vendido. Números que, com as gratuidades, causam a superlotação. Além disso, é bom destacar que este setor ainda tem um grande espaço destinado à Imprensa, o que diminui ainda mais o espaço destinado aos torcedores.

Um setor com mais gente que o suportado é um grave erro. Em caso de briga ou necessidade de evacuação rápida, podemos ter uma tragédia.

Repito aqui o desfecho do texto do ano passado: “no caso de vidas, temos que estar sempre um passo à frente dos problemas. Nós não podemos falhar.