Abdias Ferreira Neto me enviou esse belo texto sobre o golaço do Loco Abreu na última quinta. Descreve bem o sentimento que tomou conta de nós após o belo lance.

Abraço no desconhecido
Por Abdias Ferreira Neto



O que é o amor a um clube? É o abraço no desconhecido, é a alegria incontida perdida na multidão.


É o encontro desde sempre com hora marcada; 45 do segundo tempo: Gol de Loco Abreu.


Fora de casa o roteiro é puro drama, a guerra se torna épica e eu abraço um desconhecido com imensurável amor, afinal ele é mais um de mim e mais um de nós. Ele também é Botafogo


Que felicidade plena, êxtase do torcedor! Gol da vitória, não há mais desconhecidos, porque todos ao meu redor são solitários por dentro e uma só estrela por fora - a nossa eterna estrela.


Brilha ora nos dribles de Mané ou nas mãos de Jéferson; na loucura de Heleno, loucura de amor.


Quando El Loco nos brindou com uma obra-prima digna de nossos ancestrais gloriosos,
quando a rede estufou, eu corri eufórico, abracei um desconhecido como se ele próprio fosse o Botafogo.


Corri extasiado, guiado por uma estrela solitária que sozinha ilumina uma nação. Uma irmandade que sorri, chora, lamenta e comemora, sofre e regozija. Mas que acima de tudo e de todos, se reconhece uns aos outros pelo sentimento único de ser botafoguense.