As minhas lembranças de Botafogo e Santos no Engenhão não são nada positivas. Em 2007, eu havia acabado de voltar da Argentina onde vi aquele jogo e perdemos de 2 x 1. Nesse jogo, um torcedor do mais ajudado começou a rir e levou vários socos de um cidadão surgido sei lá de onde.

Em 2008, perdemos com uma entregada ridícula do Diguinho. Quando fomos reclamar na saída, ele fez gestos obscenos em direção à torcida, no que foi prontamente respondido por nós com adjetivos não apropriados ao horário. Alguém que se importa mais com os jogadores do que com o clube não gostou e partiu para cima do meu amigo, gerando outra briga.

Já em 2009, eu havia acabado de chegar novamente da Argentina, mas não estava no Rio, e não fui ao jogo. Mas, talvez por isso, o Botafogo finalmente venceu uma partida contra o Santos no Engenhão.

Esse ano, obviamente, eu deveria ficar em casa, como bom botafoguense que respeita os acontecimentos históricos. Mas estamos em 2010 e, como diz aquele bordão manjado, "tudo será diferente" (cliche counting: 1).

Ganhamos do mais ajudado, o meu Suns está fazendo 3 x 0 na série contra a porcaria do Spurs e o Botafogo não jogou esse ano no dia 29 de abril (data historicamente terrível para nós). Logo, não há o que temer: é partir para o Engenhão.

O Santos vem desfalcado, mas animado. É estreia do campeonato e os "pivetes da Vila" que entrarão em campo certamente vão querer mostrar serviço (cliche counting: 2).

Entretanto, há muito não via essa simpatia entre time e torcida. Mas não vou ficar mais me lembrando do passado, falando da última vez que torcida e time estiveram tão próximos. Chega disso.

O gol do Loco Abreu marcou mais um "ano zero" do Botafogo. Um momento onde limpamos a sujeira do passado e projetamos o futuro.

Hoje será diferente. À vitória, Botafogo!